Posts Tagged ‘Música’

h1

Quebrar paradigmas

terça-feira, 25 agosto, 2009

Quebrar_a_correnteUm dos temas mais badalados nos últimos dias no esporte é o desempenho do velocista Usain Bolt, o homem mais rápido do planeta. Alguns meios de comunicação dizem que ele está superando a barreira do corpo humano. Outros já falam do estilo do campeão, que é bem humorado e foge do tradicional estilo de concentração: quase sempre formado por um silêncio que corta os nossos ouvidos.

Assim como ele, o nadador brazuca César Cielo também ficou famoso por se bater antes das suas provas. Interessante, certo?! Bem diferente do convencional.

De fato acho bárbaro pessoas que fogem da normalidade e quebram os paradigmas da sociedade. Para mim são mais que campeões, são ultracampeões, pessoas que valem mais que R$1,99!

Fora do meio esportivo também gosto muito do estilo, digamos, diferente. Não sou defensor de quem fala e não faz (sem bordão) vive, de quem planta a sua ideologia e não consegue vivê-la na sua essência. Sou defensor de quem cria o seu estilo – ou aprimora, talvez, consegue dar sequência e ser verdadeiro consigo mesmo.

O ambiente de sala de aula, por exemplo, é um local que brota experiências espetaculares. E quem disse que é necessário virar uma parasita para garantir que está aprendendo ou não?! “Menino, calado. Vou te dar um ponto negativo por estar conversando… Dentro de sala de aula é local de concentração total…” Quantas vezes escutei isso? Será que ficar calado o tempo todo era a solução de uma educação eficaz? Hoje agradeço aos comentários insanos de sala de aula – a minha “veia” crítica agradece eternamente.

Temos que repensar muitas coisas. Será que o normal é o melhor? Ou será que o normal é o mais cômodo? Quem sabe uma nova proposta de ensino, uma nova proposta para o senado, um novo estilo de vida?! O mundo precisa de pessoas que mudam os paradigmas.

Bob Marley ficou famoso por popularizar o reagge?! Também… Bob Marley ficou famoso por tratar em suas músicas e no seu estilo temas como religião e principalmente questões sociais, até então tidas como paradigmas naquela realidade. E a partir daí o povão ama Bob Marley e seu estilo… de fumar “unzinho”. Gente, que tal utilizar o que ele fez de bom? Nada contra quem fuma ou deixou de fumar. Apenas defendo que, assim como ele, quebrar os paradigmas é importante, mas desvirtuar a realidade e achar pontos que são convenientes para nossa vida é ridículo. É questão de coerência…

Que venha novas pessoas, novos seres de diversos campos que irão quebrar alguns de nossos paradigmas. Quem sabe assim a nossa sociedade consegue evoluir e valer mais de R$1,99!

Anúncios
h1

Confira os vencedores do prêmio Multishow 2009

quarta-feira, 19 agosto, 2009
Ivete Sangalo exibe seu barrigão em apresentação com Zeca Pagodinho

Ivete Sangalo exibe seu barrigão em apresentação com Zeca Pagodinho

A entrega do 16º Prêmio Multishow de Música Brasileira foi um espetáculo. Os premiados, em alguns casos, não estão de acordo com a minha opinião. Questão de gosto mesmo. De uma maneira ou outra foi interessante e valeu. Confira abaixo os ganhadores e os comentários:

Melhor cantor:
Seu Jorge – Precisa comentar? Seu Jorge é um espetáculo. Feeeera, cheio de atitude e com um estilo muito dele.

Melhor Cantora:
Marisa Monte. Não sou fã dela, mas acho que no ano em questão ela foi a melhor.

Melhor CD:
“Agora”, NXZero. INFELIZMENTE é o que temos que aguentar. Mesmo não sendo fã, o NXZero marca de celular? é a cara do nosso atual pop rock (?) e tem uma tremenda aceitação.

Melhor Clipe:
“Ainda gosta dela”, Skank. Linda a música, clipe bem legal. “Desabafo”, do D2, também poderia ter ganho. Ahhh, foi bem escolhida.

Melhor DVD de Música:
“Infinito ao seu redor”, Marisa Monte. Como disse, não sou nem um pouco fã. Torci muito para Juntos e ao vivo, do Paralamas do Sucesso e Titãs.

Melhor grupo:
Fresno. Anh?! É… O que posso fazer. Deu o “Fresco”. É óbvio que o público teen da banda deve ter passado horas na frente do computador votando “nisso aí”. Fresno, para mim, não vale R$1,99!

Melhor Instrumentista:
Débora Teicher, Scracho. Não toco nada, portanto não opino.

Melhor Música:
“Amado”, Vanessa da Mata. ESPETACULAR a música! Muito boa mesmo… Mais que merecido. E ano que vem Vanessa da Mata vai ganhar tudo que for possível, ainda mais após o seu DVD Multishow.

Melhor Show:
“Multishow ao vivo”, Capital Inicial. Simplesmente mágico. Um dos melhores DVDs de show que já vi. Os caras conseguiram juntar um mar de gente em Brasília e arrebentaram. Tocaram até música dos Raimundos. Muuuuito bom!

Revelação:
Banda Cine. Sinceramente, conheço pouco.

TV Zé:
“Dalila”, Ivete Sangalo. Vi todos e morri de rir. Foi bem escolhido.

O Skank ganhou o novo prêmio criado: “Iniciativa”. A categoria foi criada para premiar a banda que melhor (e de maneira criativa) distribuiu a sua música.  No caso, a atuação do Skank na internet foi o que pesou na premiação. “Tudo o que a gente desenvolveu no nosso site foi fruto dessa empreitada. A web é isso e estamos cada vez mais próximos de vocês. Depois de cada show vocês nos dão esse feedback”, afirmou o vocalista Samuel Rosa.

Bacana, né?! O prêmio Multishow vale mais que R$1,99!

h1

Rapidinhas do Nem 1e99 (Versão 2)

quinta-feira, 25 junho, 2009
  • O Cruzeiro acaba de colocar um “pé” na final da Taça Libertadores da América. No dia 19 de março fiz uma observação a respeito, veja:
  • Após o jogaço, o atacante argentino do Grêmio, Maxi Lopes, foi parar na delegacia. Motivo: Racismo, denunciado pelo cruzeirense Elicarlos. Será?! Não dúvido e lamento… Quem AINDA se importa com a cor da pele não vale Nem R$1,99;
  • O Manchester City acaba de fazer uma proposta milionária pelo lateral Maicon. Dizem que o time irá pagar R$60 milhões, mais o passe do meia Elano. Gente, 60 milhões de reais. E o Ramires, que foi vendido a preço de banana e joga dez vezes mais que o Elano e o Maicon juntos? Mudando um pouco de assunto, e o salário mínimo, quanto é??? 
  • Saindo do futebol e indo para A Fazenda, quem viu deve ter se assutado com o Dado reclamando ao vivo da produção do programa… E o Britto Jr. com cara de “tacho” e depois… créu no rapazote
  • Confirmado: Gugu Liberato é da Record. Salário: 3 milhões por mês. Repito: e o salário mínimo, quanto é mesmo???  
  • Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou mudança nas regras da premiação 82ª edição do Oscar que está marcada para dia 7 de março. Serão indicados 10 filmes, ao invés de cinco;
  • Mega Sena acumulou novamente. 55 milhões será o prêmio… Ahhhh, se eu ganho essa… Bom, para ganhar tem que jogar, né?!  
h1

Rapidinhas Nem 1e99!

quarta-feira, 24 junho, 2009
  • A queda de braço entre SBT e Record está dando gosto. Enquanto Gugu do PCC ainda não deu sua resposta para a emissora do “Bispo”, que quer levá-lo para lá a todo custo, Roberto Justus e sua ex-namorada Eliana acertaram seus contratos com a emissora do Baú. Dizem que o salário da loira gira em torno de 800 mil. Cá entre nós, o crescimento de outras emissoras é algo que vale R$1,99;
  • Apesar do SBT ter feito uma proposta, digamos, bacana, o Pânico na TV renovou com a Rede TV! por mais três anos;
  • O CQC de segunda-feira foi ao vivo e novamente “matou a pau”. Gostei muito! Êta programa de comédia interessante;
  • José Sarney… Esse sujeitinho não tem limite! Pior que ele só o Lula que agora é apoiador do “Sarnento”.  Disse, inclusive, que o Sarney não pode ser tratado como uma pessoa comum. Que coisa interessante! Será que o Sarney é um extraterrestre???
  • Nem precisa falar da colaboração entre petistas e peemedebistas, né? Dizem que o Lula está tentando preservar o companheito (Companheiro???); 
  • C0ntratações secretas?! Haja político “honesto”… Deus que me livre!
  • A última do dia… Já dizia o filósofo de buteco: jogo é jogado e Lambari é pescado! A Espanha, grande favorita da Copa das Confederações, tomou  “naba” dos Estados Unidos.  Enquanto alguns já estavam analisando como seria o clássico entre Brasil e Espanha, a fúria segue enganando sua torcida. É bom o Brasil ficar esperto com o time do bilingue Joel Santana! Vamos Brasil!
h1

Um burguês chamado Cazuza

sexta-feira, 3 abril, 2009

cazuzaPor Luiz Augusto Reis Almeida

Meus pais, ou melhor, meus dois mestres, na qual tenho o maior respeito e referência de vida, sempre me ensinaram coisas boas e acima de tudo me mostraram o quanto é importante seguir bons exemplos. Por outro lado, o eterno astro brasileiro, Cazuza, que também admiro, canto suas músicas e tudo mais, conquistou uma legião de fãs por causa de suas composições fortes e marcantes.

E quem não gosta do cantor Cazuza?! Ele vale muito mais que R$1,99. Em compensação, as atitudes de Cazuza foram lastimáveis. De fato ele passou a vida como um burguesinho irresponsável, que tinha uma mãe maravilhosa, mas que vivia passando a mão em sua cabeça, e um pai totalmente ausente. Pais que não tiveram pulso para manter seu filho.

Mesmo assim a figura do Cazuza permanece intocável e até hoje é comum a mídia e a população cultuar o burgues chamado Cazuza. Os mais críticos dirão que é falta de originalidade da minha parte. Será?! Apenas não costumo idealizar algo que não é exemplo de ídolo e não fez da vida um espaço digno de se viver.

Entendo e sou fã das composições de Cazuza, mas como pessoa… Deus me livre! Como disse Nelson Rodrigues, “A unanimidade é burra”. E acrescento: é cega! (nesse caso não é surda, afinal de contas, o cantor Cazuza era excepcional).

Para explicar de maneira diferente o que penso de Cazuza, usarei o próprio Cazuza: “Meus heróis morreram de overdose, meus inimigos estão no poder. Ideologia, eu quero uma pra viver”. Sim, ideologia de vida, era isso que Cazuza precisava. Cazuza foi, para mim, um rebelde “perdido” na zona sul. O Cazuza cantor “era o cara”, como ele mesmo cantava. Já o Cazuza homem, não valia Nem R$1,99, era lastimável. Nada contra que é fã do cara, mas esse é o meu pensamento e faço jus a minha liberdade de expressão.

Como sei que o tema é polêmico demais, peço apenas uma coisa para quem for comentar: RESPEITE A OPINIÃO ALHEIA. Não existe motivo para agredir moralmente, falar mal ou ofender. Apenas apresente seu ponto de vista e será muito bem vindo. No texto acima eu fiz apenas isso: apresentei o que eu penso. Esse é o espaço para isso!

h1

(Renov)AÇÃO Pop Rock

domingo, 15 março, 2009

popNo final da década de 1970 surgiram diversas bandas para o mercado fonográfico. A maioria dessas bandas podem até não ter agradado em cheio a crítica “especializada” (especializada?), mas conseguiram movimentar e crescer o segmento no país. O Pop Rock nacional tinha cara, um formato muito bem definido, uma identidade, e deixou muita saudade. Já na década de 1990, quando alguns ícones do Pop Rock nacional deixaram compor músicas novas, outras bandas conseguiram dar seqüência ao pop.

É natural que algumas bandas como Biquíni Cavadão, Ira!, RPM, Titãs e Nenhum de Nós, deixariam de compor a todo vapor e viveriam dos seus famosos e tradicionais hits. Isso não quer dizer que eles não criariam algo novo, pelo contrário. Mas isso foi substituído gradativamente por outras bandas que assumiram o segmento. Os novos heróis do rock foram se formando, como é o caso do Skank, Engenheiros do Havaii, Jota Quest, Raimundos, Charlie Brown Jr., O Rappa, Pato Fu, dentre outras poucas por aí. A transição do pop nacional da década de 1980 para 1990 foi muito natural, sem muito impacto. Em compensação, atualmente esta transição praticamente não existe. É óbvio que outras bandas surgiram, que novos sucessos foram lançados, mas nada muito concreto, marcante. Grande parte destas bandas saíram dos “fornos”, ou melhor, das garagens, e encontram um público carente de novidade, que vibra ao surgirem músicas melosos, que grudam em nós via rádio e TV.

Algumas bandas até conseguiram deixar uma marca mais interessante, como é o caso de Los Hermanos que, para os poucos que conheceram o algo além de Anna Júlia, foi visível a qualidade musical de Marcelo Câmelo, Rodrigo Amarante e o demais músicos da banda. Diga-se de passagem: sou fã número 1 e, por muito tempo, Los Hermanos completou a minha ânsia de boas músicas do cenário nacional. Em compensação a banda não existe mais. Está parada.

O que restou??? De pop nacional apenas as melosas letras do NX0, CPM22 (são marcas de celular???), Fresno, Cachorro Grande, Hateen, e outras muitas por aí. As identidades destas bandas são quase as mesmas, nada de novo. Parece que cada banda entrou em uma casa de construção e pediu uma “laje pré-moldada”, ou melhor, entrou dentro do carro do papai, comprou uma guitarra Gibson de última geração, uma bateria Fender cheia de peças, e adquiriram uma “banda pré-moldada”.

Isso sem contar do mais importante, compraram uma atitude de “maluco beleza” – como se existisse outro Maluco Beleza, e vivem por aí, balançando a cabeça “cheios” de ritmo e “muitíssimo” conteúdo. O mais engraçado é que esta evolução praticamente não existe. Essas bandas não conseguem definir uma cara para o pop nacional. O que fazer quando nada de novo é lançado? Se essa crise existe, se é que podemos classificar como crise, teria solução e salvação para o pop nacional?

Enquanto isso, ritmos como o Sertanejo vem conquistando ainda mais adeptos, enchendo as casas de show, arrastando uma legião de fãs. É Vitor e Léo para lá, César Menotti e Fabiano para cá, Édson e Hudson, os bons e velhos Zezé di Camargo e Luciano, Chitãozinho e Xororó, Leonardo, Daniel e outros mais. No Sertanejo essa renovação é mais que visível. No Pop Rock, infelizmente, não existe renovação nenhuma.

Isso é lamentável. Fico feliz ao ver o Sertanejo crescer, mas queria que o Pop Rock crescesse em escala geométrica. Em contrapartida o que parece que vem crescendo em escala geométrica são as tchutchucas, créus, tigrões, etc, etc, etc… Teria o Pop Rock saído “desta para uma melhor”? Ou será que o Pop Rock está “apenas subindo no telhado”? E aí, amigo leitor, é certo que o nosso atual pop rock não vale Nem R$1,99! O Pop Rock nacional precisa resgatar a boa e velha identidade.

Forte abraço,

Luiz Augusto Reis Almeida