Posts Tagged ‘Leonardo’

h1

Opinião de quem entende

segunda-feira, 27 abril, 2009

leonardoCom apenas 12 anos e já fascinado com futebol (Já? nasci nesse estado), acompanhei a Copa do Mundo de 1994 como um torcedor de primeira qualidade. Torci muito, até quebrei um crucifixo na final, quando Márcio Santos errou o primeiro pênalti do Brasil.

Enfim, no final deu tudo certo. Assim, em 1994 comecei a admirar grande parte daquele plantel que fez muito, conquistando um título até então improvável. Dentro daquele grupo, além da dupla Bebeto e Romário, que todos bateram muita palma, tinha um “camarada” que era um show. Era não, é!

Estou falando de Leonardo, o cara da cotovelada, como muitos dizem por aí. No evento da cotovelada, que quase “matou” um jogador dos Estados Unidos, Leo assumiu a culpa e deu sua explicação na maior honestidade do mundo. Não jogou mais o mundial, mas mesmo assim fechou o evento como um campeão de caráter e personalidade.

Léo aposentou, virou dirigente do Milan, é muito respeitado, principalmente fora do país. É um dos caras mais inteligentes que o futebol já viu. Pelo visto, é louco para assumir algum cargo na seleção ou até mesmo no Flamengo.

Há alguns dias teve a coragem de “meter” a cara na televisão e dizer que os times brasileiros deveriam ser vendidos. Enquanto a mídia ainda tem medo de dizer isso, o cara assumiu sua posição e ponto final.

Fiquei pensando: vender um time de futebol?! Imagina vender o meu Flamengo? É claro que esse é o caminho. Já está mais que comprovado que os times de futebol estão como estão graças ao amadorismo dos “torcedores/dirigentes” de merda do futebol brasileiro.

Bom, mais uma vez Leonardo acertou. Grande sujeito, um profissional dentro e fora das quatro linhas. Tomara que um dia ele vire o presidente da CBF ou do Flamengo.  Vale R$1,99!

h1

(Renov)AÇÃO Pop Rock

domingo, 15 março, 2009

popNo final da década de 1970 surgiram diversas bandas para o mercado fonográfico. A maioria dessas bandas podem até não ter agradado em cheio a crítica “especializada” (especializada?), mas conseguiram movimentar e crescer o segmento no país. O Pop Rock nacional tinha cara, um formato muito bem definido, uma identidade, e deixou muita saudade. Já na década de 1990, quando alguns ícones do Pop Rock nacional deixaram compor músicas novas, outras bandas conseguiram dar seqüência ao pop.

É natural que algumas bandas como Biquíni Cavadão, Ira!, RPM, Titãs e Nenhum de Nós, deixariam de compor a todo vapor e viveriam dos seus famosos e tradicionais hits. Isso não quer dizer que eles não criariam algo novo, pelo contrário. Mas isso foi substituído gradativamente por outras bandas que assumiram o segmento. Os novos heróis do rock foram se formando, como é o caso do Skank, Engenheiros do Havaii, Jota Quest, Raimundos, Charlie Brown Jr., O Rappa, Pato Fu, dentre outras poucas por aí. A transição do pop nacional da década de 1980 para 1990 foi muito natural, sem muito impacto. Em compensação, atualmente esta transição praticamente não existe. É óbvio que outras bandas surgiram, que novos sucessos foram lançados, mas nada muito concreto, marcante. Grande parte destas bandas saíram dos “fornos”, ou melhor, das garagens, e encontram um público carente de novidade, que vibra ao surgirem músicas melosos, que grudam em nós via rádio e TV.

Algumas bandas até conseguiram deixar uma marca mais interessante, como é o caso de Los Hermanos que, para os poucos que conheceram o algo além de Anna Júlia, foi visível a qualidade musical de Marcelo Câmelo, Rodrigo Amarante e o demais músicos da banda. Diga-se de passagem: sou fã número 1 e, por muito tempo, Los Hermanos completou a minha ânsia de boas músicas do cenário nacional. Em compensação a banda não existe mais. Está parada.

O que restou??? De pop nacional apenas as melosas letras do NX0, CPM22 (são marcas de celular???), Fresno, Cachorro Grande, Hateen, e outras muitas por aí. As identidades destas bandas são quase as mesmas, nada de novo. Parece que cada banda entrou em uma casa de construção e pediu uma “laje pré-moldada”, ou melhor, entrou dentro do carro do papai, comprou uma guitarra Gibson de última geração, uma bateria Fender cheia de peças, e adquiriram uma “banda pré-moldada”.

Isso sem contar do mais importante, compraram uma atitude de “maluco beleza” – como se existisse outro Maluco Beleza, e vivem por aí, balançando a cabeça “cheios” de ritmo e “muitíssimo” conteúdo. O mais engraçado é que esta evolução praticamente não existe. Essas bandas não conseguem definir uma cara para o pop nacional. O que fazer quando nada de novo é lançado? Se essa crise existe, se é que podemos classificar como crise, teria solução e salvação para o pop nacional?

Enquanto isso, ritmos como o Sertanejo vem conquistando ainda mais adeptos, enchendo as casas de show, arrastando uma legião de fãs. É Vitor e Léo para lá, César Menotti e Fabiano para cá, Édson e Hudson, os bons e velhos Zezé di Camargo e Luciano, Chitãozinho e Xororó, Leonardo, Daniel e outros mais. No Sertanejo essa renovação é mais que visível. No Pop Rock, infelizmente, não existe renovação nenhuma.

Isso é lamentável. Fico feliz ao ver o Sertanejo crescer, mas queria que o Pop Rock crescesse em escala geométrica. Em contrapartida o que parece que vem crescendo em escala geométrica são as tchutchucas, créus, tigrões, etc, etc, etc… Teria o Pop Rock saído “desta para uma melhor”? Ou será que o Pop Rock está “apenas subindo no telhado”? E aí, amigo leitor, é certo que o nosso atual pop rock não vale Nem R$1,99! O Pop Rock nacional precisa resgatar a boa e velha identidade.

Forte abraço,

Luiz Augusto Reis Almeida

h1

BBbizarro 9

quinta-feira, 8 janeiro, 2009
By Kibeloco. Shoooow de bola!

By Kibeloco. Shoooow de bola!

h1

As novidades do BBB

quarta-feira, 7 janeiro, 2009

bb

Os novos integrantes do Big Brother Brasil.. Quem vai se dar bem??? Tem cara conhecida na área, heim?! rsss

Finalmente, aqui estão os 18 candidatos selecionados. Quem vai para a Casa Principal e quem vai para a Casa de Vidro?

Ana Carolina, 24 anos, bacharel em Direito, Florianópolis/SC

Ana Carolina, 24 anos, bacharel em Direito, Florianópolis/SC

Daniel, 25 anos, empresário, Campo Grande/MS

Daniel, 25 anos, empresário, Campo Grande/MS

Emanuel, 24 anos, estudante de Administração, São Bento do Sul/SC

Emanuel, 24 anos, estudante de Administração, São Bento do Sul/SC

Flavio, 25 anos, produtor de eventos, Caxias do Sul/RS

Flavio, 25 anos, produtor de eventos, Caxias do Sul/RS

Francine, 25 anos, professora, natural de Rio Grande/RS, vive em São Bernardo do Campo/SP

Francine, 25 anos, professora, natural de Rio Grande/RS, vive em São Bernardo do Campo/SP

Josiane, 30 anos, cantora, Juiz de Fora/MG

Josiane, 30 anos, cantora, Juiz de Fora/MG

Leonardo, 25 anos, estudante de Administração, São Paulo/SP

Leonardo, 25 anos, estudante de Administração, São Paulo/SP

Maira, 25 anos, fonoaudióloga, Brasilia/DF

Maíra, 25 anos, fonoaudióloga, Brasília/DF

Maximiliano, 30 anos, artista plástico, Rio de Janeiro/RJ

Maximiliano, 30 anos, artista plástico, Rio de Janeiro/RJ

Michele, 24 anos, estudante de Direito, Recife/PE

Michelle, 24 anos, estudante de Direito, Recife/PE

Milena, 32 anos, assessora de imprensa, Manaus/AM

Milena, 32 anos, assessora de imprensa, Manaus/AM

Milton, 27 anos, matemático, professor e doutorando de Engenharia Mecânica, Rio de Janeiro/RJ

Milton, 27 anos, matemático, professor e doutorando em Engenharia Mecânica, Rio de Janeiro/RJ

Mirla, 27 anos, advogada, Belém/PA

Mirla, 27 anos, advogada, Belém/PA

Naiá, 61 anos, promotora de eventos, São Paulo/SP

Naiá, 61 anos, promotora de eventos, São Paulo/SP

Newton, 29 anos, modelo e empresário, natural de Porto Alegre/RS, vive em São Paulo/SP

Newton, 29 anos, modelo e empresário, natural de Porto Alegre/RS, vive em São Paulo/SP

Norberto, 63 anos, radialista e ator, Bananal/SP

Norberto, 63 anos, radialista e ator, Bananal/SP

Priscila, 26 anos, jornalista e modelo, Campo Grande/MS

Priscila, 26 anos, jornalista e modelo, Campo Grande/MS

Ralf, 32 anos, empresário, São Paulo/SP

Ralf, 32 anos, empresário, São Paulo/SP

By Globo.com