Archive for the ‘Palavra do especialista’ Category

h1

Michael Schumacher X Airton Senna

quarta-feira, 17 setembro, 2008

O gênio Michael Schumacher (Vídeo postado por Luiz Augusto Reis Almeida)

Grande Prêmio do Brasil e show de Airton Senna (Vídeo postado por Alexandre Henrique Reis Almeida)

Anúncios
h1

Com e sem controle de tração

quarta-feira, 17 setembro, 2008

Grandes “pegas” da Fórmula 1!
Sugerido por Alexandre Henrique Reis Almeida

Gilles Villeneuxe X Rene Arnoux

Massa X Kubica (GP do Japão 2007)

h1

Palavra do especialista: Deu zebra em Monza

domingo, 14 setembro, 2008

Por: Alexandre Henrique Reis Almeida

Chegamos a Monza, essa corrida foi linda, com muitas ultrapassagens e com alguns pegas, mas nada se compara a todas que o Lewis fez. O cara que eu não sou nada fã correu demais, fez inúmeras ultrapassagens durante toda corrida, lutou demais contra todos, foi exagerado ao extremo nas ultrapassagens em Alonso (Renault) e em Mark Webber (RBR – Red Bull Racer).

Lewis e Raikkonen largaram em 15° e 14° respectivamente devido à chuva tê-los pego de surpresa ontem durante treino classificatório. Felipe largou em 6° com sua Ferrari sem chances de melhorar devido dificuldades em esquentar seus pneus.

O Felipe Massa foi político, em duas ocasiões em ultrapassagens limpas que ele fez, com a eminência de tomar uma penalização por ter usado um pouco mais da zebra no primeiro caso contra Nico Rosberg (Willians) e ter de sair do traçado na 2° perna da 1° chicane da corrida quando enfrentava Nick Heidfeld (BMW). Contra Rosberg após devolver a posição ao seu oponente ele conseguiu superá-lo na volta seguinte, já contra Heidfeld, não teve novas chances.

Kimi Raikkonen não demonstrava a que veio. Não ofereceu o mínimo risco quando o Hamilton o atacou, não mostrou ser companheiro de Massa assim como o brasileiro o fez na corrida de Interlagos no ano passado dando a ele o título mundial de 2007. Claro que ele não era obrigado a fazer isso, e ele também não agüentaria segurar o Lewis porque Lewis vinha muito rápido e forte, mas nem esboçou reação. Usando as palavras do Hamilton, foi covarde mesmo, sem meias palavras (o inglês usou outras palavras, mas quis dizer isso sobre o finlandês depois da corrida da semana passada na Bélgica onde eles se enrolaram nas últimas voltas culminando em punição para Hamilton).

Nelsinho terminou em 10° lugar enquanto seu companheiro Alonso terminou em 4°.

Rubinho terminou em 17° depois de andar até em 7°, mas teve de ir para os boxes e voltou lá prá trás.

A corrida findou com o surpreendente Sebastian Vettel a vencendo, com sua surpreendente Super Toro Rosso (STR). Heiki Kovalainen com sua Mclaren não ameaçou em nenhum momento o Vettel. Em seguida chegou o Kubica da BMW. Massa terminou em 6° e Hamilton em 7°. Kimi terminou em 9°.

O campeonato ficou com diferença de somente 1 ponto entre Hamilton e Massa, 78 e 77 respectivamente. Kubica agora tem 64 pontos em terceiro colocado geral.

Então nos encontramos em Cingapura daqui a 2 semanas, espero que desta vez consigamos sair líderes do campeonato com o Massa. Repito, seremos campeões, pelo menos estou torcendo muito para o Massa.

h1

Corridinha “pó de arroz”

domingo, 7 setembro, 2008

Por: Alexandre Henrique Reis Almeida

Ainda não tinha visto um piloto tão pó de arroz, tão “fluminense” e tão “oreia seca” como esse tal de Kimi Raikkonen, este só foi campeão ano passado porque o outro (Lewis Hamilton) foi no mesmo ano o campeão em besteiras, mas é bom piloto.

Quando vi Kimi hoje passando logo 3 nas 3 primeiras voltas, sendo inclusive desleal com o Massa no momento de sua ultrapassagem onde ele deu uma fechada no Massa em plena reta obrigando o brasileiro tirar o pé para não tocar, pensei que ele havia ressurgido na F1 neste ano, mas ele deixou o melhor para o final.

Faltando 2 voltas para acabar o GP a chuva cai, daí surge Hamilton que vinha melhor em todo o 2° stint e se aproveitou do momento para ultrapassar Kimi. A manobra começou de forma forçada antes da última curva (“S”) da pista onde na 1°perna da curva Hamilton forçou, perdeu o carro e passou Kimi por fora da pista, como assim não vale, foi obrigado a devolver a posição ao finlandês, mas não a devolveu bem, Kimi mal havia passado meio carro e lá estava Lewis deslealmente tomando a tomada da curva por dentro (a melhor, o filé mignon das curvas, o lado limpo da pista) para ganhar a 1° posição, foi desleal, mas foi bonito. Como Raikkonen não é nada competitivo ficou na dele, errado… o cara forçou tanto que bateu o carro no fim da penúltima volta, não era hora de forçar, a chuva havia começado e ele assim como todos os outros estava com pneu desgastado até para pista seca. Antes disso, Lewis rodou e o próprio Kimi também. Kimi viveu nessas 3 últimas voltas como se fosse o inconseqüente Hamilton do ano passado, resultado, lascou um beijo no muro e perdeu seu 3° lugar no campeonato para Robert Kubica da BMW.

A corrida do Felipe Massa não foi brilhante como as 2 últimas, mas ele ganhou pela regularidade, poupou equipamento quando devia e manteve a calma quando precisava no momento em que chovia. Como esta já era a 2° corrida de seu motor, ficou visível a falta de pressão de Massa em Hamilton e em Kimi. Chegou até sofrer ataques do Alonso em todo 1° stint, visando poupar o motor para ver se chagaria ao fim do GP. Como comentado aqui no meu último post, os carros da Ferrari não estão tendo motor para 2 corridas, lembro que no último GP o Kimi estourou seu motor que estava em sua 2° corrida e hoje ele andou demais usando motor novo, superando até a Mclaren que estava melhor.

Nelsinho rodou e bateu em um erro seu e Barrichello teve de abandonar devido a uma quebra em seu câmbio. Ele ficou sem a 6° marcha e a equipe pensando em não sacrificar o motor para a próxima corrida que será em Monza e que também exige muito dos motores (esta é uma das que mais exige em toda temporada) chamou o brasileiro para recolher o carro.

O campeonato tem então mantendo se em 1° Hamilton (80 pontos), mas agora com uma vantagem de 8 pontos em relação a Felipe (72 pontos) que também se manteve em 2°, seguidos de Kubica e Raikkonen com 58 e 57 pontos respectivamente.

Galera, esse texto foi feito às 11h da manhã do domingo, 7 de setembro.

Logo após o piloto Hamilton foi punido por uma manobra e o brasileiro Felipe Massa “herdou” a vitória. Bom para nós, brasileiros!!! Agora Massa se aproximou ainda mais do inglês na corrida para o título.

h1

Barba, cabelo e bigode de Massa

domingo, 24 agosto, 2008

Palavra do especialista: Alexandre Henrique Reis Almeida

A exemplo da corrida de 3 semanas atrás, Felipe foi o fator chave desta corrida, sobrou de novo desde sexta feira. A diferença foi o final da prova que não teve seu motor arrebentando o meu coração em fumaças. Desta vez, a bola da vez foi o Kimi, que após seu 2° pit, no exato momento em que ele acelerava sua SUPER FERRARI para rasgar na reta principal deste GP, teve seu motor literalmente abrindo o bico e cuspindo fumaça pra tudo que é lado. E ao contrário da reação do Massa na Hungria no momento em que saia de seu enfumaçado SUPER FERRARI que quase arrancava os seus cabelos de desespero devido à situação que ele ficara no campeonato até então, o Kimi sai do carro com ar de como se tudo estivesse normal, tranqüilo e que não perdeu nada com aquilo. Que contraste de comportamento. O cara imparcial!

Esta corrida marcou também pelos erros causados pelo excesso de modernidade (excesso sim), pois uma simples plaquinha poderia ter evitado o acidente de Kimi nos boxes que feriu seu mecânico. Não sou contra modernização, mas colocar um “semáforo” no lugar da plaquinha que ficava incomodando o piloto e o ameaçando a todo o momento caso ele ouse sair sem a ordem daquele que a segura foi pra mim um exagero. A Ferrari sempre inova, e neste caso não foi a 1° vez que ela o fez, cito aqui a época da guerra dos pneus onde se dava bem quem conseguia se adaptar às condições da pista e do clima durante toda prova sem trocar os pneus. A Ferrari instalou na boa, velha e eficaz plaquinha um espelho para que seus pilotos no momento do reabastecimento pudessem ver como estavam seus pneus e agirem de forma a poupar o que mais desgastado estivesse. Não sei se o Kimi se precipitou como foi dito na transmissão, mas que é fato que se tivesse um cara ali segurando a plaquinha ele não iria sair com a eminência de tomar uma placada na cara. Também não iria liberar o Massa no momento em que Adrian Sutil da Force Índia estava com mais velocidade saindo dos boxes causando risco de acidente entre os dois naquele momento tão tenso. Erros existem e devem ser bloqueados ou minimizados, o que levanto aqui é a complexidade do assunto, onde tendo uma pessoa em cima do momento no calor da intenção de acertar (estando esta em pé segurando uma placa a frente do piloto) esta veria a situação como um todo, diferente do caso de uma pessoa dentro dos boxes que só apertaria um botão sem estar totalmente envolvida com este calor que mencionei acima.

Rubinho de novo brigando com seu carro e desta vez, os freios foram o vilão. Quem já viu um Fórmula 1 travar pneu traseiro? Eu nunca havia visto e o vi neste fim de semana, coisa absurda até então… Para os entendedores, fica claro a dificuldade então do meu querido Rubens. Ele terminou só em 16°.

Nelsinho terminou em 11°, um resultado nada bom, mas que lhe dá regularidade e constância em termos de terminar provas. Alonso de novo não completou.

ATENÇÂO: Os motores da Ferrari não estão se mantendo para 2 corridas, o que está acontecendo com as SUPER MÁQUINAS? Que ela nas últimas 2 corridas superou as Mclaren’s isso é fato, mas também que nestas 2 últimas corridas seus motores não deram conta da corrida inteira estando em sua 2° corrida é fato também, e fato este que nos preocupa, pois a indícios que a Ferrari para bater a Mclaren está sacrificando o rendimento de seus motores em troca de potência sem conseqüência.

Então é isso, Massa em franca recuperação se mantendo em 2° lugar no campeonato com 64 pontos, Hamilton (que nesta corrida não ameaçou em nenhum momento nosso brasileiro) continua em 1° agora com 70 pontos e o super imparcial Haikkonen em 3° com 57 pontos.

OBS.: Barba cabelo e bigode é igual à melhor tempo na Sexta de treinos livres, melhor tempo nos treinos do Sábado também, vitória no Domingo com direito a melhor volta da prova.

h1

Palavra do especialista: Só faltou o Rubinho

segunda-feira, 21 julho, 2008

Então, amigo leitor, sempre gostei muito de fórmula 1, mas dentro da minha própria família tenho um irmão que sabe tudo do assunto. Tirando que ele torce e ainda acredita em Rubens Barrichello, ele sabe discutir muito sobre do assunto. Até entendo que ele seja fã do Rubinho, inclusive eu comento que ele só pode ser o assessor do tal brasileiro que ainda insiste em correr pela fórmula 1, mas… Bom, deixa a “lengalenga” para lá e vamos ao que interessa.

Em respeito a você, amigo leitor, o meu irmão, Alexandre, é o novo colunista do meu blog. A partir de agora ele irá falar sobre automobilismo e, sendo assim, criei uma coluna especial para ele. Trata-se da “Palavra do Especialista”. Vale lembrar que ele não é jornalista, heim?! Ele é um administrador que ama automobilismo. Para começar ele escreveu sobre o GP da Alemanha. Confira:

Dois brasileiros deixam suas marcas na Alemanha
Por Alexandre Henrique Reis Almeida

A GP da Alemanha foi sem emoção nenhuma até o acidente do alemão Timo Glock que, apesar de não ter sofrido nenhuma lesão grave, sem querer colocou um tempero na corrida. Antes deste tempero tínhamos Lewis Hamilton em primeiro, seguido por Massa e Kovalainen, sendo que ambos já haviam feito o seu primeiro pit stop e encaminhavam para a segunda parada da mesma forma e sem alterar suas posições.

A corrida estava teoricamente decididas a favor de Hamilton, que só não liderou de ponta a ponta por conta de um erro tático da McLaren. Em compensação Hamilton tinha o melhor carro da corrida e foi muito bem, conquistando duas vagas- sobre Massa e sobre Nelsinho, até chegar ao topo do pódio. Haja vista que o Heikki Kovalainen companheiro de equipe de Hamilton encostou o carro para ele passar quando eles estavam em terceiro e quarto respectivamente.

Massa foi do jeito que dava e ganhou o que dava, foi médio, faltou o espetáculo, talvez por conta do não desenvolvimento do carro que não é mais o favorito ao título. Tentou de tudo o que pode, em seu 1° pit trocando os pneus duros por moles pra correr no 2° stint e tentar tirar a supremacia de Lewis, não adiantou. No fim da corrida começou a ter problemas com freios que tiraram de vez a possibilidade de brigar com o Hamilton. Ele não conseguia nem sequer aproximar de Nelsinho.

Já o brasileiro Rubinho Barrichello estava bem devido sua tática (salvo sempre as limitações de seu carro), faria somente um pit e já havia até feito, seguia bem na corrida, atacando e seguindo para uma boa posição segundo o que seu carro lhe proporcionara. Havia acabado de aplicar um “X” em seu companheiro Jenson Button no retorno de seu pit e vinha pra cima do “lambão” David Coulthard, o cara que está atrapalhando a todos nas corridas. Não foi diferente, o Rubinho atacou por dentro em uma tomada de duas curvas sendo a primeira à esquerda e em seguida a direita, e o David não tomou conhecimento de que estava sendo atacado e fechou a porta, porta-malas e tudo que ele não tinha direito e ainda assim o fez. Eles não chegaram à segunda perna desta tomada, David bateu em Rubinho causando assim a quebra do bico da Honda do brasileiro até ele abandonar.

Destaque para a sorte de Nelsinho que parou no momento exato em que Glock mudava a história desta corrida. Nelsinho vinha bem na prova dentro de suas limitações e faria somente um pit, a exemplo de Rubinho. Mas após entrada do Safety Car, ele chegou a liderar a corrida, chegou a abrir tempo em cima de Massa e sua fraca Ferrari. Estava colocando tempo em cima do até então líder do campeonato. Não agüentou Hamilton e terminou em segundo para alegria de seu pai e de todos os brasileiros. Foi bom ter visto o mundo criticado o brasileiro e vê-lo dar a volta por cima. E que volta! Neldinho terminou à frente de Alonso (este terminou em 11°) que rodou, perdeu posições em pista e tudo mais.

Resumindo, corrida meio emocionante com resultado bom para Brasil, mas não em particular para Massa e Rubens.

Massa largou em 2° lugar e chegou em 3°. Nelson largou em 17° e chegou em 2° (com ajuda da sorte e de seu talento) e Rubinho largou em 18° e nesta posição ficou após ter sido tirado da corrida.

Detalhe: desde 1991 na Bélgica não tínhamos dois brasileiros no pódio, foi bom rever isso. Nesta época Senna foi o 1° e Piquet (pai) em 3°.

Sorte está se mostrando um ingrediente muito forte nas últimas temporadas pós aposentadoria do Schumi. Massa não a teve sorte nas duas últimas provas. Na última, Rubens teve e ficou brilhantemente em 3° e a bola da vez desta corrida foi o Nelson. Claro que sem habilidade e talento, essa sorte não serviria de nada.

Então é isso, sorte para nossos brasileiros que são muito competentes e não me deixa dúvida que Massa será o campeão desta temporada, porque Lewis é piloto de simulador, não agüenta pressão.

O campeonato está com Lewis em 1° com 58 pontos, Massa em 2° com 54 e Raikkonen com 51 em 3°.

Força Brasil, nos faça encher de orgulho de novo.