Archive for the ‘Política’ Category

h1

A falta que faz uma agenda

quinta-feira, 20 agosto, 2009

agendaPor Júlio Vasconcelos, do blog Geogente

Todos os dias, na minha rotina de trabalho, logo no primeiro momento, abro minha agenda no correio eletrônico e verifico minhas atividades diárias. Isto se chama planejamento do tempo e é um requisito básico e fundamental para que qualquer ocupante de cargo de gestão que se preze possa administrar. Pelo que parece, a Ex-Secretária Executiva da Receita Federal Lina Vieira nunca se preocupou com isto ou faltou à aula no dia em que esta disciplina foi ministrada .

O próprio Presidente Lula, embora numa manifestação não recomendada, disse a respeito do tão divulgado conflito com a Ministra Dilma Roussef: “É só mostrar a agenda”. Apesar de muito convincente no seu depoimento no Congresso e de tudo indicar que está realmente dizendo a verdade, o fato é de se assustar: uma executiva de tão alto escalão, com quase 30 anos de experiência não tem uma agenda nem que seja de bolso que não vale nem R$1,99 e ainda pior, não tem absolutamente nenhum registro sobre uma reunião com uma persona tão importante quanto uma Ministra de Estado?

E ainda mais, não teve o bom senso de comunicar na ocasião ao seu superior imediato, o Ministro Mantega, a ocorrência de tão importante e delicado fato? Fiel retrato da incompetência no modo de administrar o tempo dos nossos executivos públicos e privados ou um mero caso isolado? Na minha longa experiência dentro das organizações, tenho visto um monte de executivos correndo exasperados de um lado para o outro, quase sempre sem saber onde chegar! Vale a pena pensar…

Anúncios
h1

Calar é mais fácil

terça-feira, 11 agosto, 2009

transitoHá 15 dias aconteceu comigo um fato bem interessante. Estava trafegando em uma das principais avenidas de Três Corações, cidade na qual resido, atrás de um Ford Fiesta preto que a cada rua me trazia uma novidade. O cara do carro de frente literalmente não sinalizava nada que iria fazer. A seta do seu veículo deveria estar até com teia de aranha de tanto que não era utilizada.

Com esse tipo de condutor, a distância de segurança deve ser dobrada, certo?! Pois é, deveria, porque um motoboy que andava um pouco mais rápido (pleonasmo?) ultrapassou o meu carro, que estava na direita, e já estava ultrapassando o Fiesta quando…. Putz! Não era um motoboy, era um super-homem! O rapazinho voou por cima do carro. Para se ter uma ideia, ele conseguiu dar um amassadinho quase no teto do Fiesta. Todos que lessem o citado acima diriam que o motoboy estava errado e que esse “povo” só anda a mil por hora.

Pois então, desta vez a coisa não foi bem assim. Apesar de mais rápido que ambos os veículos, o motoboy não estava correndo. Estava dentro da velocidade permitida. Como a pista é dupla, o condutor do Fiesta e eu estávamos na pista da direita, que é para veículos mais lentos. Só que, no meio da pista, à esquerda, havia um retorno para o outro sentido da avenida. No momento que o motoboy estava na pista da esquerda, o Fiesta, sem dar seta, “balangar” ou balançar o braço, piscar o olho ou coisa do tipo, entrou para retornar e “crash”. Não poderia dar outra.

Parei para ver a situação do rapaz, mas ele surpreendeu. Levantou como um gato e disse que não tinha se machucando. Já o condutor do carro, que agora sei que é um sr., saiu xingando até a última geração do “gato” e dizendo que ele iria pagar pelo conserto. Mal quis saber se o rapaz estava vivo ou morto. O motoboy, assustado, disse que a moto é da empresa e que ele não pode pagar, até porque ele acusou o sr. de não ter dado a seta. E o sr., dono da razão, xingou muito e afirmava que o motoboy iria pagar.

Como ninguém havia machucado, sai e fui em direção do meu carro. Parecia que um anjo do bem falava comigo: vai lá, conte a verdade ou então o rapaz da moto vai se dar mal. Você viu o que aconteceu, seja justo. Já o anjo “malvado” era taxativo: o que você tem com isso? “Vaza”, continua seu caminho.

Voltei e no meio da discussão, que já contava com um agente de trânsito cheio de dúvida, entro dizendo: “estava atrás de ambos os veículos e vi a colisão”. O agente, mais que depressa pede ajuda, afinal estava complicado para entender a situação. Disse a verdade, que o sr. do Fiesta não deu seta, que o motoboy não estava correndo e que a culpa não foi do motoboy. Na mesma hora o sr. ficou muito bravo, disse que era um erro e que estava sendo injustiçado. Deixei meu telefone caso fosse necessário e fui embora com o dever cumprido. Talvez se não tivesse falado a verdade o motoboy teria que pagar o conserto da moto e do carro, poderia ser mandado embora do seu empreto ou coisa do tipo.

Talvez nós, cidadãos brasileiros, deveríamos nos manifestar mais a respeito de diversas injustiças e picaretagens do nosso país. Não, preferimos ficarmos sentados na frente da TV, afinal de contas não está nos afetando diretamente. (Não?!) Será que existe um “anjo do bem” dentro de nós, nos atiçando para nos manifestarmos? Ou será que só iremos nos manifestar quando atingir em cheio o nosso umbigo? Sociedade de “merda”, não vale nem R$1,99!

h1

Em nome da grana e do sucesso, abraça-se até o capeta

segunda-feira, 20 julho, 2009

unePor Júlio Vasconcelos – do blog Geogente

Já entendi por que  a Presidente da UNE, Lúcia Stumpf e a sua trupe não se manifestaram sobre os elogios tecidos pelo Presidente Lulla a respeito do Collor, seguido de abraços sorridentes entre ambos em um palanque nas Alagoas. O negócio é que o Presidente Lulla tem sido muito generoso com o caixa da UNE em 2009. Foram R$2,49 milhões embolsados pela entidade! É muita grana!

A antes tão combativa entidade, que liderou os cara-pintadas para a derrubada do Collor calou-se perante os cifrões e não é de hoje que está muda. Calou-se diante da roubalheira do mensalão, calou-se  diante dos escândalos envolvendo o Sarney e pasmem, chegou a defender o safado do Calheiros no episódio da troca de benesses com uma empreiteira para sustentar a ex-namorada, engravidada por “descuido”. 

Em nome da grana e do sucesso, abraça-se até o capeta; pelo que parece este é o ditado que a entidade e o Presidente vem colocando em prática. Do jeito que está, apesar de embolsar milhões, a UNE não está valendo nem R$1,99!

h1

Ética no ministério

segunda-feira, 13 julho, 2009
E o povo ó...

E o povo ó...

Por Júlio César Vasconcelos – Do blog Geogente 

Recentemente a mídia  divulgou em altos brados a polêmica gerada pela informação falsa constante no currículo da Ministra Dilma Roussef estampada na plataforma Lattes do CNPQ. 
As informações do currículo afirmavam que a Ministra era graduada em Ciências Sociais e na verdade ela é graduada em Economia, afirmava também que ela era mestre e doutora e na verdade não concluiu nenhum dos dois cursos. O mais interessante é que a Ministra afirma que as informações realmente são falsas mas não foi ela a responsável pelo preenchimento no site. Vale ressaltar que o acesso à inserção e alteração de informações no site é protegido por senha secreta e pesssoal, portanto entende-se que somente ela poderia ter inserido as informações!…

Bom, fica aqui a dúvida: diante de tanta falta de ética e roubalheira no meio político, até que ponto dá para acreditar na fala da Ministra? Afinal de contas, os fatos e dados comprovam que neste meio prevalece a Ética Amoral, onde tudo é relativo e possível, pois em se tratando de política, tudo vale! Mentir, dizer que não sabia e fingir-se de sonzo, utilizar de dinheiro público para interesses particulares, dar emprego para o clã familiar com salários astronômicos e vai por aí afora…Vale lembrar o e-mail que dizem ser do Maluf: maluf@masfaz.com.br… 

E por falar em valer, comprovados os fatos, se formos analisar pelo foco da ética, a candidatura da ilustríssima Ministra à Presidência da República não vale nem R$1,99!…
h1

As maracutaias do congresso

terça-feira, 23 junho, 2009

Galera, o blog Nem 1e99 acaba de receber um novo colaborador. Trata-se de Júlio Vasconcelos, do ótimo blog http://geogente.wordpress.com/   – Sugiro que conheçam o blog do “cara” e leia o texto abaixo. (Saiba mais sobre o perfil de Júlio Vasconcelos)

Por Júlio César Vasconcelos

A foto diz muito...

A imagem diz muito...

A relação é quilométrica: Severino Cavalcanti recebe propina de restaurante do Planalto e pede renúncia, Renan Calheiros arruma um filho bastardo com uma jornalista e paga as custas com o dinheiro do contribuinte e pede renúncia. Deputado Edmar Moreira adquire castelo avaliado em 25 milhões de reais e não declara no Imposto de Renda. Sarney recebe durante um ano R$3.800,00 dos cofres do Senado para pagamento de aluguel em Brasília. Detalhe: possui imóvel próprio e o Senado ainda disponibiliza outro para ele. Pediu desculpas, disse que não sabia que estava recebendo o dinheiro!…Roseana Sarney paga R$12.000,00 reais para Mordomo com dinheiro do Senado! Senado torra R$1,5 bilhões só em gratificações para o funcionalismo, meio bilhão só com horas extras! 

Senadores pagam nada mais, nada menos do que R$ 48,000.00 por mês para o obscuro site, o www.paraiba.com.br, exibir um bannerzinho minúsculo.

Uau!!! Infelizmente, apesar de um democrata convicto, sou obrigado a admitir: vamos acabar com o Senado e diminuir o número de Deputados!  São 81 Senadores, 513 Deputados e 6,2 mil Servidores para atender esta corja!

Determinantemente quantidade não significa qualidade! Não se pode medir a grandeza de uma democracia pela quantidade de representantes do povo! Melhor ser representado por um número pequeno de personalidades íntegras, conscientes e comprometidas com o futuro do nosso País do que por um bando de falsários e sonegadores que não valem Nem R$1,99!