Posts Tagged ‘Velório’

h1

O show não pode parar

segunda-feira, 6 julho, 2009
O verdadeiro Michael Jackson

O verdadeiro Michael Jackson

É inegável a importância que o cantor Michael Jackson teve no cenário pop mundial. Ele foi um ícone, um ótimo artista. Como costumo dizer, após a morte todo e qualquer cidadão vira deus, vira um ser especial. Até o José Sarney corre o risco de virar santo. E com o com Michael Jackson isso não é diferente, mas ele foi de fato um marco para o pop mundial.

Depois de transformar o astro em um santo, o show deve continuar. Sim, show até em sua morte. MJ terá seu velório, que será no ginásio Staples Center, em Los Angeles, transmitido por várias emissoras de televisão por todo o mundo. Se não bastasse, serão sorteados ingressos, dos quais alguns fãs ficarão no próprio ginásio, enquanto outros fãs “contemplados” ficarão no “Nokia Theater” – local onde serão colocados três telões transmitindo o velório do astro pop.

Quem quiser participar do sorteio basta se cadastrar em um site (www.staplescenter.com), ou até mesmo ver o velório pela internet.

Esse é o cumulo! Sortear ingresso para um velório?! Gente, nem o Papa João Paulo II fez isso. É muito… Até o enterro do “camarada” virou evento sei lá de quê. Talvez por isso o mundo esteja desse modo. É muito destaque para pouca coisa. Não que o MJ tenha sido “pouca coisa”, mas imaginar que até o seu enterro será transformado em show?!

Deixa o cara ser enterrado em paz, gente boa! Se é fã, faça sua manifestação nas ruas, vista de MJ, faça gol e comemore como o astro, dance moonwalk pelos cantos, mas será que é tão necessário entrar em um sorteio para ver o corpo (a ossada, pelo visto) ser enterrada?! Pior ainda é a família permitir (ou criar?) esse tipo de coisa. Êta povinho que não vale Nem R$1,99! Realmente, o mundo está de pernas para o ar.

Anúncios
h1

Rapidinha Nem 1e99! (3)

terça-feira, 30 junho, 2009
Rapidinha é com o galo!

Rapidinha é com o galo!

  • Segundo o jornal “AS”, Fernando Alonso está muito perto de acertar sua transferência para a Ferrari. Ainda segundo o jornal, a escuderia não escolheu no se Alonso entraria no lugar de Felipe Massa ou Kimi Raikkonen. De qualquer maneira, acredito que se confirmar o boato, Alonso será o piloto número 1 da Ferrari.
  • Pelo visto o astro pop Michael Jackson não perdoou o pai pelas “chicotadas” da infância. Segundo o Wall Street Journal, no testamento feito por MJ, em 2002, seu pai não está entre os herdeiros. Haja gratidão;
  • A “fera” Rubens Barrichello, o eterno número 2, prometeu que irá homenagear Michael Jackson no pódio. O piloto afirmou que irá dançar moonwalk no pódio do próximo grande prêmio, na Alemanha. Esse é o Rubinho, sempre querendo “andar para trás”;
  • Após a queda de outro avião, desta vez o Airbus 310 com 153 pessoas a bordo, que caiu próximo às Ilhas Comores, as autoridades aeroportuárias confirmaram que uma garota de 14 anos foi retirada viva do Oceano Índico. “Cá entre nós”, quem sobrevive a um acidente aéreo só pode ter sete vidas;
  • E nada do Palmeiras contratar seu novo treinador. Dizem que o sonho era Muricy Ramalho ou Abel Braga. Mas a realidade é Dorival Júnior, Silas e o ex-lateral paraguaio Arce. De todos, Abelão é o que mais me agrada.

Por hoje é isso…

h1

“Quem tem medo do lobo mal”?

quarta-feira, 18 março, 2009


clo

Que coisa engraçada… O polêmico deputado Clodovil Hernandes era tido como um maluco, desbocado e sem educação. Após “virar purpurina”, agora é herói, líder e até gênio. Engraçado como o povo tem medo de falar mal de uma pessoa que “bateu às botas”. Sempre o achei muito mal educado, estranho e com algumas atitudes que beirava o ridículo, como foi a uma declaração há alguns anos.

Segundo Clodovil, ele poderia ser chamado de Clô pelos amigos, Vil para os inimigos, e Do “para” todos. De boa, Clodovil sempre foi um “mala sem alça”, não vai ser agora que ele faleceu que irá virar “boa” gente. Inclusive o próprio Clodovil já tinha dito que se considerava uma pessoa “custosa”.

Respeito à dor de quem tem algum afeto por ele, as quase 500 mil pessoas que votaram nele para deputado, mas acho que o povão fala tão bem dele após a morte justamente com medo do difunto puxar o pé (ou outra coisa) na calada da noite. Respeitar a memória é importante e educado. Virar fã após a morte é oportunismo ou vontade de aparecer.

Na minha casa eu sempre digo: quando eu morrer, não quero festa muito menos gente que nunca tive relacionamento chorando ao meu lado, heim?! (rsss).

E vamos que vamos e que Deus o tenha!

Luiz Augusto Reis Almeida
Ps.: Depois dessa, quero ver o que se o Pânico vai zoar o “difunto”.