Posts Tagged ‘Sul de minas’

h1

Chama a “puliça – p, u, l, i, çesidrila, a!”

quinta-feira, 9 julho, 2009
Tá de sacanagem???
Tá de sacanagem???

 De fato não entendo. Qual é a referência que temos em se tratando de segurança? Apenas Deus. Digo, a polícia, claro. Então, na cidade que moro, a corporação aumentou o tamanho do muro da sua sede, colocou cerca elétrica e tudo mais. O motivo: segurança! Ora bolas, lá não é presídio, logo não será alguém de dentro que irá pular para fora, e sim um cidadão de fora que irá pular para dentro, certo?!

Então, será que existe algum ladrão capaz de entrar na sede da polícia e cometer algum delito? Em alguns casos até acontece, mas quase sempre está relacionado a alguma manifestação. Mas em Três Corações, cidade ao sul de minas, com cerca de 75 mil habitantes isso é possível? Se cair alguém no pátio da polícia o que vão fazer?! Ligar para quem? 190? Não, eu não entendo mesmo.  

Anúncios
h1

Policial de (m…) chumbo

quinta-feira, 21 maio, 2009

bebidaEssa foi boa, ou melhor, péssima. Estava meu “compadre” Júnior e eu em um restaurante da cidade de Boa Esperança, região sul de Minas Gerais, quando parou uma viatura da polícia, saiu alguns policiais, devidamente fardados, e pediram nada mais nada menos que uma “cachacinha” no balcão do local.

 “Coisa” super-interessante, heim?! Depois sentaram em uma mesa ao lado, continuaram indo e vindo ao balcão para degustar tal bebida. Imagine: o cara que é responsável pela manutenção da ordem na cidade, que normalmente é dotado de uma conduta correta, verdadeira e cidadã, se junta aos seus colegas de trabalho, no meio do dia e de farda, para tomar “uma” de leve.

Pior, o mesmo policial que estava tomando o seu “aperitivo” será o mesmo que irá lhe aplicar uma bela punição caso você esteja alcoolizado no volante. De fato não sei onde iremos parar.

Como sou mesmo muito “mala”, tirei o meu celular, bati uma foto sem flash e… pronto! Está aqui! Não irei publicar, afinal de contas as consequências são fortes e podem me prejudicar. Medo?! Não. Precaução, afinal de contas não atuo mais em um grande jornal que iria me dar respaldo para tal matéria.

De qualquer maneira, fica aqui a minha indignação a esses merdas homens que se dizem ser da lei. Exceção, claro. Bom, pelo menos espero que seja exceção. Se até eles estão dando esse “ótimo” exemplo, o que mais podemos esperar. Lamentável para a corporação que tem valores e prega a ética e o profissionalismo acima de tudo. Conduta de quem não vale Nem R$1,99!

h1

Carnaxé 2009

quarta-feira, 18 fevereiro, 2009

carnaval_mascara

Por Luiz Augusto Reis Almeida – Diga não ao Axé!

Acho que estou ficando velho… Já amei carnaval, gostei, adorei, contava os dias para a chegada do período e hoje… Curto! Acho divertido e tal, mas tem uma coisa que me deixa até desanimado no carnaval são os hits baianos, os funks (etc, etc, etc) que tomaram conta. Que saudade das marcinhas… P*** m****! Agora é prova que estou ficando velho mesmo… Até porque não fui da época das marchinhas.

Apenas lembro as marchinhas por causa de uma banda que tocava no carnaval da minha cidade, Mariana.. Se eu não me engano o grupo se chama “A incrível Banda”. Mesmo assim, acredito essa substituição de hits não vale Nem R$1,99!

Esse “raio” desse axé em pleno carnaval não Vale nem R$1,99. Mais dureza ainda é pensar que em plena quarta-feira de Cinzas estarei com aquele “joelhinho, cabeça, joelhinho, cabeça” (hits grudentos do carnaval 2009 – ainda não sei qual será!) martelando em minha cabeça, enquanto vejo a apuração das escolas de samba do Rio de Janeiro, escutando “Mocidade Independente de Padre Miguel… Deeeeeeez. Grande Rio: Noooove… e meio!” Que medo! Se os axés de carnaval não valem Nem R$1,99, imagina o pós-carnaval?! Deixa eu parar por aqui…