Posts Tagged ‘Jornalismo’

h1

Tas, a mania!

quarta-feira, 22 julho, 2009

tasCareca, cabeçudo, muito estranho e que anda se reproduzindo mais que greemilliens. Não, gente boa, não estou falando de nada sexual e nem do Ronaldo Fenômeno nos tempos que jogava na Europa.

Bom, na verdade estou falando de outro fenômeno, só que esse de competência e de audiência. Trata-se de Marcelo Tas, o jornalista âncora do programa Custe o Que Custar – CQC, da Bandeirantes.

Enquanto muitos ainda se iludem com apresentadores sem o mínimo de conteúdo, Tas vem conquistando cada vez mais espaço na TV e principalmente na internet graças aos seus comentários irreverentes, mas que trata de diversos assuntos de maneira muito séria. Com muito bom humor, e acima de tudo competência, Tas conquistou uma legião de fãs, tem um dos blogs mais premiados do país, e seu twitter está repleto de seguidores.

Para os que acreditam que humor e “coisa séria” não combinam, está aí a prova viva. Pela competência e pelo ótimo humor, Marcelo Tas vale mais que R$1,99!

Anúncios
h1

Bem que meu professor me disse…

quarta-feira, 5 novembro, 2008
Cachorrada entre Dado e Luana

Cachorrada entre Dado e Luana

Existem fatos que também não valem Nem R$1,99. O fato da vez é o fim do namoro de Dado Dolabella (já “cornetei” ele por aqui) e Luana Piovani. Só que desta vez serei um pouco mais breve e não falarei de nenhum dos dois. Agora vou falar da imprensa brasileira que dita o que noticiado e o que será discutido.

Ontem escutei um “tititi” entre algumas pessoas comentando a respeito do fim do namoro das “celebridades” Dado e Luana. Achei muito engraçado, afinal de contas começar e terminar um namoro é algo tão normal (não disse simples, disse normal).

E aí lembrei imediatamente de um professor meu de Teorias de Comunicação, o Luis Ademir, que afirmava categoricamente que o ser humano é um mero fantoche. Dentre as justificativas (no plural) dele para tal afirmativa está justamente à agenda setting – ou teoria do agendamento, formulada por Maxwell McCombs e Donald Shaw na década de 1970. De acordo com a teoria, a mídia define a pauta para a opinião pública discutir. Assim, a mídia não dita às pessoas “o que pensar”, mas “em que pensar”.

Bom, e o que isso tem a ver com o namoro de Dado e Luana? Antes de responder, vou fazer outra pergunta: o que nós, pobres mortais, temos a ver com o término do namoro desta dupla de “mala sem alça”? N-A-D-A. E por que cargas d’água essa “praga” virou notícia por mais de duas semanas? Então a resposta é simples: quem não vale Nem R$1,99 é a mídia, é claro. Só isso? Claro que não. Os leitores que lêem esse projeto de notícia também não valem Nem R$1,99.

Enquanto uns odeiam, que é o meu caso, outros amam esse tipo de notícia que vive nos meios de comunicação. O pior de tudo é que sou a minoria e por isso tais notícias estarão sempre estampadas nos meios de comunicação.

Então é isso… Abraço virtual,

Luiz Augusto Reis Almeida

h1

Rodrigo Amarante responde…

segunda-feira, 29 setembro, 2008

POST PROGRAMADO DIA 20 DE SETEMBRO DE 2008.

Para mim a banda Los Hermanos foi um dos melhores conjuntos musicais brasileiros que já vi. Muitos não conhecem e se limitam a dizer que Los Hermanos é Ana Júlia. O repórter abaixo resolveu dar uma alfinetada e levou logo um tiro de canhão.

Boa foi a explicação do Rodrigo Amarante a respeito da função do jornalista…