Posts Tagged ‘ética’

h1

Que o sonho seja realidade (e que seja logo…)

quinta-feira, 10 setembro, 2009

zicoSou fã número 1 do melhor e maior jogador de todos os tempos: Zico. Não cheguei a vê-lo jogar no seu auge, mas quando nasci, em 1982, minha família já me criou em berço Rubro-Negro e, aos poucos, pude acompanhá-lo em campo.

Quando tinha cerca de quatro anos, já apaixonado por futebol, ganhei um travesseiro com a estampa de uma criança vestida com o manto sagrado que foi batizado como Zico. Só conseguia dormir se tivesse tal travesseiro. Minha mãe não podia nem lavar o travesseiro que dava briga. O tempo passou e em todas as “peladas” de rua eu era o Zico.

Sempre apaixonado por futebol, muitas vezes choro ao ver o meu Flamengo na atual situação. É muita picaretagem e pouco amor ao meu time. E por isso ao ver que o Zico saiu do CSKA – time russo que o Galinho era treinador, vejo a oportunidade de ver o meu ídolo comandando o esporte no time que amo.

Não existe casadinha mais perfeita do que Zico e Flamengo. No futebol, são poucos que tem o caráter e a integridade do Galinho. Zico foi, é e sempre será, para mim, o melhor e maior jogador da história do futebol. Dentro e fora de campo Zico é um exemplo de conduta, competência e ética.

Só nós, torcedores apaixonados, sabemos o quanto o Fla precisa do Zico. O Galinho tem amor pelo Flamengo e muita COMPETÊNCIA fora das quatro linhas. Profissionalismo, algo que o Flamengo nunca viu por parte de sua diretoria. Se assumir o Flamengo teremos grandes chances vivermos dias melhores.

Sendo assim, o Flamengo espera de braços abertos alguém que vale mais que R$1,99: Zico! Aposto que nove em cada dez flamenguistas sonham com isso!

h1

Ética no ministério

segunda-feira, 13 julho, 2009
E o povo ó...

E o povo ó...

Por Júlio César Vasconcelos – Do blog Geogente 

Recentemente a mídia  divulgou em altos brados a polêmica gerada pela informação falsa constante no currículo da Ministra Dilma Roussef estampada na plataforma Lattes do CNPQ. 
As informações do currículo afirmavam que a Ministra era graduada em Ciências Sociais e na verdade ela é graduada em Economia, afirmava também que ela era mestre e doutora e na verdade não concluiu nenhum dos dois cursos. O mais interessante é que a Ministra afirma que as informações realmente são falsas mas não foi ela a responsável pelo preenchimento no site. Vale ressaltar que o acesso à inserção e alteração de informações no site é protegido por senha secreta e pesssoal, portanto entende-se que somente ela poderia ter inserido as informações!…

Bom, fica aqui a dúvida: diante de tanta falta de ética e roubalheira no meio político, até que ponto dá para acreditar na fala da Ministra? Afinal de contas, os fatos e dados comprovam que neste meio prevalece a Ética Amoral, onde tudo é relativo e possível, pois em se tratando de política, tudo vale! Mentir, dizer que não sabia e fingir-se de sonzo, utilizar de dinheiro público para interesses particulares, dar emprego para o clã familiar com salários astronômicos e vai por aí afora…Vale lembrar o e-mail que dizem ser do Maluf: maluf@masfaz.com.br… 

E por falar em valer, comprovados os fatos, se formos analisar pelo foco da ética, a candidatura da ilustríssima Ministra à Presidência da República não vale nem R$1,99!…
h1

Policial de (m…) chumbo

quinta-feira, 21 maio, 2009

bebidaEssa foi boa, ou melhor, péssima. Estava meu “compadre” Júnior e eu em um restaurante da cidade de Boa Esperança, região sul de Minas Gerais, quando parou uma viatura da polícia, saiu alguns policiais, devidamente fardados, e pediram nada mais nada menos que uma “cachacinha” no balcão do local.

 “Coisa” super-interessante, heim?! Depois sentaram em uma mesa ao lado, continuaram indo e vindo ao balcão para degustar tal bebida. Imagine: o cara que é responsável pela manutenção da ordem na cidade, que normalmente é dotado de uma conduta correta, verdadeira e cidadã, se junta aos seus colegas de trabalho, no meio do dia e de farda, para tomar “uma” de leve.

Pior, o mesmo policial que estava tomando o seu “aperitivo” será o mesmo que irá lhe aplicar uma bela punição caso você esteja alcoolizado no volante. De fato não sei onde iremos parar.

Como sou mesmo muito “mala”, tirei o meu celular, bati uma foto sem flash e… pronto! Está aqui! Não irei publicar, afinal de contas as consequências são fortes e podem me prejudicar. Medo?! Não. Precaução, afinal de contas não atuo mais em um grande jornal que iria me dar respaldo para tal matéria.

De qualquer maneira, fica aqui a minha indignação a esses merdas homens que se dizem ser da lei. Exceção, claro. Bom, pelo menos espero que seja exceção. Se até eles estão dando esse “ótimo” exemplo, o que mais podemos esperar. Lamentável para a corporação que tem valores e prega a ética e o profissionalismo acima de tudo. Conduta de quem não vale Nem R$1,99!

h1

Opinião de quem entende

segunda-feira, 27 abril, 2009

leonardoCom apenas 12 anos e já fascinado com futebol (Já? nasci nesse estado), acompanhei a Copa do Mundo de 1994 como um torcedor de primeira qualidade. Torci muito, até quebrei um crucifixo na final, quando Márcio Santos errou o primeiro pênalti do Brasil.

Enfim, no final deu tudo certo. Assim, em 1994 comecei a admirar grande parte daquele plantel que fez muito, conquistando um título até então improvável. Dentro daquele grupo, além da dupla Bebeto e Romário, que todos bateram muita palma, tinha um “camarada” que era um show. Era não, é!

Estou falando de Leonardo, o cara da cotovelada, como muitos dizem por aí. No evento da cotovelada, que quase “matou” um jogador dos Estados Unidos, Leo assumiu a culpa e deu sua explicação na maior honestidade do mundo. Não jogou mais o mundial, mas mesmo assim fechou o evento como um campeão de caráter e personalidade.

Léo aposentou, virou dirigente do Milan, é muito respeitado, principalmente fora do país. É um dos caras mais inteligentes que o futebol já viu. Pelo visto, é louco para assumir algum cargo na seleção ou até mesmo no Flamengo.

Há alguns dias teve a coragem de “meter” a cara na televisão e dizer que os times brasileiros deveriam ser vendidos. Enquanto a mídia ainda tem medo de dizer isso, o cara assumiu sua posição e ponto final.

Fiquei pensando: vender um time de futebol?! Imagina vender o meu Flamengo? É claro que esse é o caminho. Já está mais que comprovado que os times de futebol estão como estão graças ao amadorismo dos “torcedores/dirigentes” de merda do futebol brasileiro.

Bom, mais uma vez Leonardo acertou. Grande sujeito, um profissional dentro e fora das quatro linhas. Tomara que um dia ele vire o presidente da CBF ou do Flamengo.  Vale R$1,99!