Posts Tagged ‘Boninho’

h1

No Limite, cadê seu limite?

quarta-feira, 2 setembro, 2009

no-limite-ao-vivoComo já afirmei diversas vezes, sou fã de reality show. Em compensação, tem um que eu tenho pânico de ver até a propaganda. Nunca vi tamanha bobagem como aquele tal de No Limite. Se não bastasse o formato antigo e ultrapassado, o apresentador global, Zeca Camargo, fica mais perdido do que cego em tiroteio. Sinceramente, parece que o Zeca Camargo está em mais uma de suas viagens pelo nosso mundão sem porteira.

O mais engraçado é que a fórmula do programa não muda. Pior ainda se lembrarmos as “nojeiras” que o povo anda comendo. Até bicho vivo, gente boa! Rede Globo, que tal usar a criatividade ou até mesmo comprar um novo formato?! Enquanto isso, vai tomando capote da concorrência.

A Fazenda “deitou o cabelo” em cima de No Limite, e  no tal do Jogo Duro, que de tão duro não colou… É muita nojeira e pouca criatividade. Globo, seu No Limite não vale Nem R$1,99!

h1

Reality “choro”

segunda-feira, 8 junho, 2009

a-fazendaNão é novidade para ninguém que sou fã de reality show. Já fui “correspondente” de jornais e sites para falar do assunto. Como o estilo está em moda na tv brasileira, ontem fiquei até mais tarde para acompanhar a estréia do Jogo Duro, e gravei A Fazenda, afinal de contas no horário que o reality show passou na Record estava vendo o Pânico na TV (Ronaldo!). Diria o um serial killer: vamos por partes.

Astro global

Astro global

Sobre o Jogo Duro eu não posso dizer muita coisa. É muito ruim. Um show de “nojera”… Posso até estar enganado, mas acho que não vai emplacar. O bom Paulinho Vilhena, agora barburdo como o Marcelo ex-BBB 8, está muito estranho, com ar de intelectual, querendo dar uma de cruel. Jogo Duro pode até ter boa audiência, mas não deixa de ser péssimo.

Sobre A Fazenda falo que é fraco, mas corre o risco de emplacar. Lotar uma casa de “famosos do segundo escalão” (conhecidos, na verdade) e achar que vai dar audiência é perigoso. Pode até dar, afinal de contas o que não faltam são barracos, nádegas e músculos. E como o povo gosta bastante disso, vai dar audiência. Mas a edição do programa até então está fraca. Boninho terá que fazer uma consultoria urgente para a sequência do programa (ou será que ele está ocupado com o programa global?)

Acredita, amigo leitor, que mais ou menos aos 27 minutos do programa (gravado pela Sky HDTV) eu já sabia quem seria o eliminado? Então, nem precisou da Mãe Dinah muito menos ser Nostradamus. A coisa foi simples: na hora de colocar o crédito da mãe de um dos participantes, apareceu rapidamente: Fransciely eliminada com 50%. Como percebi algo diferente, voltei e vi.

Isso sem contar os áudios que demoraram a ser cortados e entraram em cenas erradas, o irritante barulho do chiclete de um dos participantes, que ficou por segundos no ar, as entrevistas sem pé nem cabeça com os familiares dos participantes. Não por culpa do Britto Jr., que é ótimo, mas pelo fato de colocar uma pessoa que não é acostumada a falar e jogar logo um programa ao vivo? Ficou estranho.

Vamos pegar leve! Como toda estréia A fazenda e Jogo Duro merecem créditos, mas que ajuste logo ou a audiência vai despencar (Tem solução?!)Até então ambos os programas não valem Nem R$1,99!

h1

Big Brother Brasil: Eu assisto!

terça-feira, 31 março, 2009

tv-bbb

Pelo telespectador (assíduo) do BBB, Luiz Augusto Reis Almeida

Como escrevo para o caderno Ragga Drops do Estado de Minas, tenho a missão de escrever um blog que complemente o meu trabalho e que seja um link direto com os leitores. Já escrevi obre alguns temas, sendo que desde o início do programa Big Brother Brasil estou escrevendo a respeito. O blog do BBB 9, http://www.dzai.com.br/raggadrops/blog/bbb9, recebeu um alto número de visitas, o que me deixou bastante satisfeito. O melhor de tudo foram os inúmeros comentários que “ilustraram” a minha passagem por aquele endereço e também serviu de inspiração para novos textos.

Em compensação, na reta final do programa recebi um comentário muito estranho. Nele dizia, em suma, que quem assiste o Big Brother Brasil é um ignorante, sem a mínima cultura. Ora bolas, cultura?! Ignorância? Não tenho o mínimo medo de dizer que assisti todas as edições do programa, independente de fazer do BBB um instrumento de trabalho ou como um hobby. Eu realmente gosto e nunca deixei de afirmar isso, mesmo quando eu estava no ambiente acadêmico, na escola de comunicação que, convenhamos, é feita de um monte de “metidos”(a besta) a cultos. Que se exploda! Eu gosto mesmo, assisto, comento, converso a respeito e tudo mais. Da mesma maneira que converso a respeito de política, economia, TV, comportamento, temas polêmicos, esportes… Enfim, esta é a beleza do ser humano – poder dar seu palpite a respeito de todos os temas que nos cercam e que fazem parte da nossa realidade.

Ou você acha que eu vou ficar assistindo “Observatório da Imprensa” ou “Roda Viva” em plena segunda-feira de trabalho árduo durante todo o dia? “Cá pra nós”, quer porre maior que isso?! Não faço tipo para isso, eu realmente não gosto, apesar de respeitar quem gosta.

Talvez, amigo leitor, quem vive fazendo “tipo” que assisti isso ou aquilo, não tem a mínima capacidade de analisar o que se passa em um programa de entretenimento. Sim, até o programa de entretenimento nos faz pensar.

Até recordo uma obra que li há alguns anos, escrita por um filósofo italiano, o Giovanni Sartori, intitulada como “Homo Videns – Televisão e Pós-Pensamento”, na qual ele faz uma análise de que a televisão está mudando o ser humano de homo sapiens – homem que sabe, para se transformar em um homo videns – homem que vê. Em suma, o autor defende que o ser humano perde a sua capacidade de abstração devido ao “excesso” da TV em sua vida.

Tudo bem, concordo plenamente com o filósofo, ele tem toda razão. Mas me diga: é pecado assistir ao Big Brother ou a qualquer programa que não seja de cunho jornalístico?! Será que Sartori “contou” com o Big Brother para escrever a sua obra? Então, amigo leitor, qual é o problema??? 

Se você faz esse tipo que “critica” quem assisti Big Brother, pense bem. Será que o telespectador do BBB perdeu a capacidade de abstração ou você, crítico impiedoso do programa, perdeu a sua capacidade de entender que essa é a nossa realidade e que, além de política, economia, esportes, cultura (…), temos muito mais o que assistir e comentar?

Quanto você acha que vale quem critica qualquer coisa sem ao menos conhecê-la? Nem R$1,99!